Telecon Education and Services

Atendimento: (11) 3090-7651


Telecon Education and Services

Atendimento: (11) 3090-7651


Home > Notícias

Tendências na contratação em TI - 11/02/2015

Tendências na contratação em TI

Quais as competências em tecnologia que serão mais procuradas em 2015? A que devem os líderes de TI estar atentos nos próximos meses, em termos de mercado de trabalho?


As TI cresceram para uma entidade que toca todas as partes do negócio e as organizações devem manter o ritmo ou ficar para trás. David Foote, analista-chefe e responsável de pesquisa da Foote Partners, adapta o seu negócio para se manter no topo das tendências tecnológicas que marcam as organizações.


A sua empresa trabalha com mais de 2.600 companhias monitorizando os vencimentos e a procura por mão de obra nas TI. A Cio.com falou com Foote para discutir o próximo ano e quais as tecnologias que os líderes precisam de procurar.


(Nota: os dados mais recentes quando este artigo foi escrito referiam-se ao terceiro trimestre de 2014, mas algumas coisas mudaram no quarto trimestre, de acordo com Foote, que forneceu algumas informações sobre como elas devem afectar as perspectivas para 2015).


De consultores a empregados a tempo inteiro
A economia está a melhorar e as organizações estão a começar a aliviar o congelamento nas contratações e o uso de consultores. De facto, dados da Foote Partners mostram que as organizações estão a começar a ter mais trabalhadores a tempo inteiro e estão menos dependentes de serviços de consultoria. Foote espera que essa tendência continue em 2015.


“Temos notado algumas mudanças realmente sistémicas a acontecer na composição da força de trabalho de TI. Houve uma grande mudança para contratar consultores e trabalhadores contingentes ao longo dos últimos anos. Mas agora as pessoas estão a colocar os funcionários a tempo inteiro e está a começar a mudar. Isso está a ter um enorme impacto”, diz Foote.


Certificações estão a ganhar terreno
As capacidades de TI certificadas têm vindo a crescer de forma consistente, contrariando a história de mais de uma década. “[As certificações são] até quase 1% do valor de mercado para o ano, sete trimestres seguidos de crescimento, o que é sem precedentes nos 16 anos em que temos vindo a ter relatórios de certificações que o mercado paga”, segundo Foote.


TIs e arquitectura de software são mais importantes
Foote diz receber telefonemas regularmente de CIOs numa necessidade desesperada de arquitectos de todas as variedades. Esta tendência continuará em 2015 à medida que cresce a complexidade.


Open Group Master Architect, Cisco Certified Architect e AWS Certified Solutions Architect são algumas das certificações que entraram para a lista das competências certificadas mais bem pagas. No lado não-certificado, TOGAF (The Open Group Architecture Framework), segurança, dados e arquitectura de infra-estrutura estão no topo da lista dos mais bem pagos. O que isto significa é que a procura e vencimentos por arquitectos provavelmente continuará a sua trajectória ascendente.


Big Data ausente da lista
No terceiro trimestre de 2014, pagar pelas capacidades em Big Data não estava a crescer tão rapidamente como antes. Muitas organizações investiram muito dinheiro em Big Data mas o ROI é difícil. Em resultado disso, de acordo com Foote, muitas dessas capacidades em Big Data saíram da lista nessa altura. “Um grupo de capacidades em Big Data saiu dessa lista [com os mais altos vencimentos]. Está o Big Data a bater num solavanco na estrada? Sim, está”, diz Foote.


Ele considera também que muitas organizações pensaram que podiam perceber o poder do Big Data contratando as pessoas certas mas, de facto, a cultura actual nas organizações é o maior obstáculo para o sucesso.


Com base nalguns dados sobre o quarto trimestre, Foote oferece algumas observações sobre o crescimento de Big Data para 2015. No terceiro trimestre, Foote suspeita que as empresas estavam a reorganizar os seus esforços em Big Data mas agora as coisas parecem estar encaminhadas na direcção certa novamente. Essas capacidades em Big Data “riveram um choque mas estão de volta à nossa lista de previsão com base nos dados do quatro trimestre e recentes entrevistas de campo”, diz Foote.


Organizações continuam a investir na gestão do capital humano
De acordo com os dados da Foote Partners, o investimento em capital humano aumenta à medida que o mercado da contratação de TI se torna mais competitivo. “Os recursos humanos tecnológicos são uma grande área para um grande número de empresas. Estas estão a começar a perceber o quão complexo é gerir as pessoas, a sua remuneração, bónus e pagar prémios de mérito. A tecnologia que está em vigor há muitos anos é velha. Se é uma pessoa de TI, não é um mau lugar para se especializar”, diz Foote.


Capacidades na cloud mais apertadas
Enquanto a procura pela tecnologia de cloud continua forte, a oferta de competências em nuvem e os empregos estão a aproximar-se da procura, o que é bom. “Os empregadores têm respondido às lacunas de competências para a cloud com a formação e desenvolvimento para produzir os níveis de habilitações de que que necessitam. Demorou muito tempo a fazer isso mas agora está-se no caminho certo”, diz Foote.


Os vencimentos no mercado de certificações da cloud foi de até 2% no quarto trimestre de 2014 e de 1,1% no ano como um todo. No lado dos não certificados, ficaram acima de 1% para o ano inteiro, mas abaixo de 4,7% em valor de mercado nos últimos seis meses de 2014.


Procura por cibersegurança continuará
“2015 será um ano em que as despesas discricionárias em segurança da informação vão começar a reflectir o facto de que todos estes ataques de alto perfil têm finalmente empurrado os executivos a levar as ameaças mais a sério e a admitir que não têm os efectivos adequados”, diz Foote.


Ele também indica que existem 55 certificações “infosec” que valem até 3,7% mais no mercado para todo o ano de 2014. Esta é uma tendência interessante, segundo Foote: “[há] um forte crescimento em valor de mercado por uma certificação inicial, o que indica mais interesse nas pessoas que entram nessas carreiras como uma estratégia de trabalho”, diz.


Algumas áreas-chave que Foote chama de “strong performers” incluem auditoria, hacking e certificações forenses. Certificação de analista de cibersegurança forense continua a ter um bom desempenho, com 8,3% nos últimos seis meses – o segundo maior vencimento entre todos.


Software Quality Assurance (SQA)
Como a procura por software e arquitectos continua, o mesmo acontece com a necessidade de pessoas para certificar que o trabalho foi bem feito e que a experiência do cliente é uma boa. “Esperamos ver crescimento nas capacidades de SQA, de certificações e de salários em 2015. Muito e muito desenvolvimento de software em diversas plataformas, mas é claro no móvel especialmente, precisam de lotes de testes automatizados e manuais”, lembra Foote.


Considerações finais
No geral, 2015 parece promissor. O mercado continua a melhorar com o desemprego nas TI nos EUA abaixo dos 3% e as empresas estão a investir mais em empregados a tempo inteiro.


 

Fonte: http://www.computerworld.com.pt/

Compartilhar